TAP investe 40 milhões em novas tarifas e garante preço mais baixo

David Neeleman (acionista) e Fernando Pinto (CEO da TAP), na apresentação do programa Stop Over da companhia, no mês passado | CARLOS MANUEL MARTINS/GLOBAL IMAGENS

Bilhetes comprados a partir de hoje para voos de outubro em diante podem ficar até 53% mais baratos. Companhia promete preços mais competitivos do mercado

Quem voar na TAP vai ter maior flexibilidade de escolha e preços disponíveis com opção low cost. A TAP Portugal lançou hoje o seu novo modelo tarifário que, garante a companhia aérea, vai permitir reduzir preços entre 34% e 53% nos tarifários mais baratos. A lógica da transportadora é transformar os cinco tipos de tarifas que já oferece em opções customizáveis, incluindo uma opção low cost sem, no entanto, se tornar numa. As refeições, por exemplo, estarão sempre incluídas. O modelo que a transportadora hoje oficializa representa a “criação de tarifas à medida das necessidades de cada cliente, o qual poderá escolher, de forma fácil e transparente, a opção que melhor serve o propósito da sua viagem”, diz a TAP.

Este modelo envolveu trabalho das equipas de Marketing, Vendas e de Rede e Pricing da companhia aérea, tendo obrigado a um investimento de 40 milhões de euros, tanto em horas de trabalho como na realização das alterações necessárias à configuração dos A319, A320 e A321 que fazem os voos europeus e para o Norte de África da TAP para transportarem mais 12 a 16 passageiros. São os únicos voos visados nas novas tarifas. Para o longo-curso, novidades talvez para o ano.

Paula Canada, diretora de marketing da TAP, explicou ao DN/Dinheiro Vivo que os novos tarifários surgiram da ideia de oferecer aos passageiros a oportunidade de “escolher como se quer voar, com uma lógica de menus para escolher serviços, uma espécie de à la carte”. No caso dos tarifários mais baratos – os Discount -, isto significa que os bilhetes ficarão, de base, mais baratos: “O Discount passa a incluir só bagagem de mão [até 8 kg], e estimamos uma redução média de 34%.” E se quiser levar bagagem de porão? “Vai ao menu e acrescenta a opção.” Nesse caso já terá de ter atenção se não valerá mais ponderar a compra de bilhete no tarifário seguinte, o Basic – que inclui essa possibilidade e pode acabar por ficar mais em conta.

“Tarifas à medida das necessidades”

O menu incluído vai crescendo à medida que viajamos pelos diferentes tarifários. No Discount, além da bagagem de mão, tem refeição, acesso ao quiosque digital, check-in online e atribuição de 10% das milhas da viagem. No Basic tem tudo isso mas as milhas contam a 40% e pode levar uma mala e alterar a reserva mediante pagamento. Segue–se a Classic, que soma a todas essas opções a reserva prévia de lugar, além de 70% das milhas. E assim sucessivamente.

A TAP quis avançar para este modelo para acompanhar o mercado europeu, “que tem apostado numa maior diferenciação de opções aos passageiros”, diz Paula Canada. Mas também para cumprir um desejo de posicionamento: “Não ser low cost. Daí a manutenção das refeições, a oferta de jornais a bordo e voar para os principais aeroportos.” O novo Discount aposta “num preço low cost muito competitivo, com serviço diferenciador em relação ao mercado”, explica a TAP.

Mais lugares por avião

A TAP vai ainda fazer alterações às configurações dos aviões que fazem ligações à Europa e Norte de África, para reforçar a oferta de lugares Discount – até agora limitados a certo número. Segundo a diretora de marketing da empresa, os Airbus A319 e A320 terão capacidade para mais 12 lugares por viagem e o A321 até mais 16, encurtando o espaço entre os lugares na parte traseira do avião, dedicados às três primeiras classes tarifárias.

[Total: 1    Média: 5/5]
Sobre Gustavo Nagahama 108 Artigos
Piloto comercial de aeronaves e piloto coordenador de voos no grupo Alfa Uno.
Contato: Facebook

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta